Vinologique

Porque a vida é curta para beber vinho ruim – tudo sobre o mundo dos vinhos para iniciantes de um jeito simples e sem frescuras!


Deixe um comentário

ExpoVinis 2016, vamos?

Genteeeee, que vergonha!!! Tinha consciência de que eu não postava há muito tempo, mas só essa semana me dei conta de que ainda não tinha escrito nada este ano!!! E metade dele já passou!!

Mil desculpas pela ausência, abandonar o Vinologique nunca fui minha intenção! Quem trabalha na frente de um computador o dia inteiro sabe que quando acaba o expediente a última coisa que dá vontade de fazer é ligar o computador chegando em casa, ainda que seja por lazer. A vida anda bem corrida mesmo, mas vou me esforçar pra vencer a preguiça e dar mais atenção por aqui. 🙂

Bom, esse post é pra contar sobre o ExpoVinis, o maior evento de vinhos da América Latina que acontece todos os anos no Brasil. Desta vez em sua 20ª edição, entre os dias 14 e 16 de junho, este ano a organização promete mais conteúdo tanto para quem quer começar a trabalhar na área quanto para quem é só consumidor final.

Já fui algumas vezes e é uma feira enorme, então recomendo entrar no site do evento e se programar antes de chegar lá, assim vc não perde tempo e garante que vai visitar os stands em que tem interesse.

Ah, importante: o acesso para consumidor final é pago e restrito aos dias 15 e 16, apenas das 17h às 21h. Ainda assim é uma ótima oportunidade para provar novos rótulos (serão mais de 5.000 disponíveis) e é um programa diferente para aproveitar este frio que resolveu aparecer em São Paulo! 😉

Saúde, santé, cheers, salud!

 

SERVIÇO

ExpoVinis Brasil 2016 | 20º Salão Internacional do Vinho

14 a 16 de junho

Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo – Vila Guilherme – São Paulo

Informações, credenciamento visitantes e novidades: www.expovinis.com.br

Facebook: ExpoVinis Brasil | Twitter: @expovinis | Instagram: @expovinisbrasil


Deixe um comentário

2º International Wine Show – Shopping Frei Caneca

Sei que ninguém aqui precisa de muito motivo pra tomar um bom vinho né, mas tenho dois ótimos pra você:

1- Esse friozinho delícia que chegou de repente em São Paulo – nada melhor que um vinho (ou vários!) como aquecedor!

2- A segunda edição do International Wine Show que acontece amanhã, dia 23 de Julho, no Shopping Frei Caneca:

Wine Show FC

Eventos como este são sempre uma ótima oportunidade pra você se apaixonar por novos rótulos pelo preço equivalente a uma garrafa de vinho. E não vá pensando que a qualidade é mediana. Entre os rótulos presentes, soube pelos organizadores que estarão presentes vários premiados prelos melhores guias de vinho do mundo!  Eu já garanti o meu convite e estarei lá procurando aquecedores novos! 😉

Serviço:

International Wine Show 2015

Data: 23 de julho de 2015 (quinta-feira)

Horário: das 16 às 21 horas

Local: Centro de Convenções Frei Caneca – 6º Pavimento – Rua Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo

Vem gente!!

Saúde, santé, cheers, salud!


5 Comentários

Você tem sede de quê?

Sempre insisto no ponto que vinho bom é aquele que você bebe e gosta, independente do preço, da marca ou de outras pessoas terem gostado, e acho legal compartilhar um exemplo recente aqui.

Domingo passado, dia das mães, achei que devíamos abrir um vinho melhor. Na minha adega eu tinha um Don Melchor safra 2007, que comprei há alguns anos na própria Concha Y Toro, no Chile. Mesmo comprando diretamente do produtor, lembro que não foi um vinho barato. Para dar uma ideia de preço, aqui no Brasil uma garrafa da safra 2009 sai por mais de R$400, ou seja, bem mais caro que a média dos vinhos que costumo tomar normalmente.

Fazendo uma pesquisa rápida, vi que 2007 foi uma das safras emblemáticas para este rótulo. As condições climáticas naquele ano foram consideradas perfeitas para a maturação das uvas, o que é um dos fatores que afeta muito a qualidade do produto final.

don melchor 2007

Ou seja, credenciais não faltavam para este vinho, mas nem por isso ele entrou para a lista dos melhores que já tomei. Ele estava sim pronto para beber, tinha características marcantes, uma certa complexidade (não quero fazer uma análise técnica aqui), mas para o MEU paladar, achei que era um vinho um pouco “exagerado”. Os aromas de fruta negra em compota se sobrepunham aos demais. A acidez e o corpo não estavam equilibrados com o álcool (14,5%), que estava em excesso e me incomodou um pouco. Enfim, nada de necessariamente errado com o vinho, mas não compraria novamente.

Depois de ter aumentado minha “litragem” nos últimos anos, comecei a descobrir qual é o estilo que me agrada mais agora – até porque nosso paladar também evolui com o tempo – e a fazer escolhas mais certeiras. Quando tinha menos referências, escolhia sim vinhos pela marca e pontuação, mas hoje presto mais atenção na uva, na região.

Enfim, não estou dizendo que o Don Melchor não vale o que custa. Você pode ter uma experiência completamente diferente da minha com este vinho. E acho que o legal é justamente isso, provar, provar e provar pra aumentar cada vez mais o seu repertório. 😉

Saúde, santé, cheers, salud!