Vinologique

Porque a vida é curta para beber vinho ruim – tudo sobre o mundo dos vinhos para iniciantes de um jeito simples e sem frescuras!


Deixe um comentário

2º International Wine Show – Shopping Frei Caneca

Sei que ninguém aqui precisa de muito motivo pra tomar um bom vinho né, mas tenho dois ótimos pra você:

1- Esse friozinho delícia que chegou de repente em São Paulo – nada melhor que um vinho (ou vários!) como aquecedor!

2- A segunda edição do International Wine Show que acontece amanhã, dia 23 de Julho, no Shopping Frei Caneca:

Wine Show FC

Eventos como este são sempre uma ótima oportunidade pra você se apaixonar por novos rótulos pelo preço equivalente a uma garrafa de vinho. E não vá pensando que a qualidade é mediana. Entre os rótulos presentes, soube pelos organizadores que estarão presentes vários premiados prelos melhores guias de vinho do mundo!  Eu já garanti o meu convite e estarei lá procurando aquecedores novos! 😉

Serviço:

International Wine Show 2015

Data: 23 de julho de 2015 (quinta-feira)

Horário: das 16 às 21 horas

Local: Centro de Convenções Frei Caneca – 6º Pavimento – Rua Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo

Vem gente!!

Saúde, santé, cheers, salud!

Anúncios


2 Comentários

A etiqueta e a rolha

Muitaaaaaa, mas muita gente mesmo fica com receio de levar vinho para um restaurante. Conheço uns que têm vinhos muito bons em casa mas demoram para abri-los só porque costumam comer fora e sequer cogitam levar uma garrafa.

Pois saibam que não tem nada demais em fazer isso, contanto que você saiba algumas regrinhas de etiqueta. E nem são tantas assim pra lembrar:

1- Cheque com antecedência qual é a política do restaurante e se há taxa de rolha. Não adianta tirar um vinho da adega pra ele ser barrado na porta, né? Existe até o app de celular Taxa de Rolha (já falei dele aqui) que mostra os restaurantes perto de você que aceitam e qual será o preço cobrado. Sem surpresas é melhor pra todo mundo!

2- Pergunte também se o restaurante tem o rótulo que você pretende levar em sua carta de vinhos. Se tiver, troque o rótulo, troque o restaurante ou aborte a ideia. É a mesma coisa que ser convidado pra jantar na casa de um amigo que quer cozinhar seu prato preferido e levar a sua marmita – pega bem mal.

3- Regra que vale para a vida: tenha bom senso. Veja se o vinho que você pretende levar combina com o lugar. Não faz muito sentido levar um vinho super básico (pra não dizer de qualidade inferior) em um restaurante muito chique ou um muito especial num sujinho onde nem o dono recomenda comer por lá. Caprichar na gorjeta também é recomendado, já que geralmente os garçons vão abrir e  servir o vinho, ainda que você o tenha fornecido.

Se ainda assim você é dos que não se sente à vontade levando a própria garrafa a tiracolo, acho melhor mesmo não forçar e guardar o rótulo para ser aberto em uma situação mais confortável. Pode parecer bobagem, mas, como já falei aqui antes, a situação também influencia a sua percepção e se você achar que está fazendo alguma coisa de errado são grandes as chances de ter uma experiência ruim e colocar a culpa no vinho.

Em tempos de preços mais altos (e temperaturas mais baixas brrrr) acho sempre válido pensar em opções para garantir a sua taça. Como disse ontem, precisamos aumentar esse consumo, minha gente!! Passe na sua loja preferida, abasteça seu estoque e leve sua garrafa pra jantar sem medo! 😉

Saúde, santé, cheers, salud!


1 comentário

700/1

Você como um apreciador de vinhos provavelmente não vai acreditar – assim como eu duvidei quando ouvi pela primeira vez – que o consumo per capita de vinhos no Brasil é de 700 ml. 700, não 750, que seria uma garrafa inteira. :-O

Mais do que não acreditar, você deve ter pensado que está contribuindo muito para elevar esta média . Por essa conta acho que eu e meus amigos devemos beber em um ano a média de uma pequena cidade!! rs

Para efeitos de comparação, na França o consumo per capita é de 45,6 litros por ano, o equivalente a mais de 60 garrafas. E já caiu muito, hoje eles são só o 5º país no ranking e em 1965 era de 160 litros/ano!!! O.O

E o que você tem a ver com isso? Bom, quanto maior o consumo em um país, mais desenvolvido e competitivo se torna o mercado. Traduzindo: mais importadores, mais rótulos e preços mais atraentes passam a existir para dar mais opções para você, querido consumidor. 🙂

Não sei vocês, mas vou continuar aproveitando esse friozinho que resolveu chegar em SP e fazer a minha parte pra aumentar essa média aí! 😉

Saúde, santé, cheers, salud!